Segunda-feira, 25 de Julho de 2011

Julho

CURIOSIDADES DO MÊS DE JULHO NO PORTUGAL MÉDICO Julho : O mês sétimo de César, e quinto na ordem de Rómulo é chamado Julho; e porque era o quinto, por isso Rómulo ordenou que se chamasse Quintilis. Ao depois sendo Consul Marco António, em honra e memória de Júlio César, mandou que este mês se chamasse Julius. Os antigos o pintavam na pessoa de um segador de trigos; e lhe chamavam os Egípcios, Messori. Os Babilónios e Caldeus, Abh. Os Gregos e Arquivos, Panemos. Os Atenienses, Metatginion. Os Macedónios, Carcinios. Os Capadoces, Thetusia. Os Bitinios, Bendigeos. Os Cíprios, Autocratoricos. Os Alemães, Heumandr. Os Ingleses, Lyda. E os árabes, Dulchid. As recomendações do Portugal Médico, para este mês, são as seguintes: NÃO LISONGES VÉNUS, PORQUE DANO GRANDE FAZER-TE PODE; MEDICINA NÃO TOMES, NEM SANGRIA, QUE É ENGANO: À ARRUDA E SALVA DE MANHÃ TE INCLINA : COM PÃO E ÁGUA NESTA PARTE DO ANO, O AGRAÇO NO COMER É SÃ DOUTRINA. NÃO COMAS MUITA FRUTA TE ACONCELHO, A FRESCA ALFACE AJUDA AO MOÇO E AO VELHO. Monarquia Medico Lusitana - 1726
publicado por Varziano às 10:48
link do post | comentar | favorito

Agosto

CURIOSIDADES DO MÊS DE AGOSTO NO PORTUGAL MÉDICO Agosto na conta de Rómulo era este mês chamado Sextil, mas ao depois em memória e veneração de Augusto César, se chamou Augustus, porque neste mês entrou este imperador com três triunfos em Roma e se acabaram as Guerras Civis, ficando ele supremo Senhor da Monarquia do Mundo, em cujo tempo se fecharam todas as portas de Jano. E porque não parecesse que Augusto era menos senhor que o seu predecessor, Júlio, tiraram a Fevereiro um dia e o acrescentaram a Agosto. Os Egípcios o chamaram Thor. Os Babilónios e Caldeus, Eul . Os Persas, Azfirdamich. Os Hebreus, Eyuyl. Os Gregos e Arquivos, Loos. Os Atenienses, Bosdrtomion. Os Macedónios, Leou. Os Capadoces, Osmony. Os Bitinios, Strrtygnos. Os Cíprios, Diamarphexofios. Os Alemãens, Augustmander. Os Ingleses, Vvendimonath. Os Árabes, Dulcheya. Para este mês devem ser observadas as regras abaixo indicadas : BEBE DO BRANCO VINHO, E CARNE COME DE FRANGÕES E UZA A RECENTUAL VITELA. O AGRAÇO, A SALVA, E MELÃO SE TOME, NÃO ENTRE NUNCA A COUVE NA PANELA : E DE HOUVER QUEM DA LUA OS DIAS SOME, NO PRINCÍPIO PRO MAU FUJA DE VELA, FAZE À LANCETA, E ÀS DEMAZIAS PAUSA, PORQUE SÃO DA TERÇÃ E QUARTA CAUSA. Monarquia Médico Lusitana - 1726
publicado por Varziano às 10:13
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Julho de 2011

Pequena história de algumas freguesias de Braga

PEQUENA HISTÓRIA ALGUMAS FREGUESIAS DE BRAGA O Padre Carvalho da Costa, insere no seu trabalho “Corografia Portuguesa”, editado em 1701, umas notas sobre as freguesias rústicas e coutos que hoje estão integrados na área concelhia de Braga. Pela sua extensão não nos propomos falar de todas as freguesias, escolhemos algumas que tem a sua história mais desenvolvida, merecendo portanto a nossa atenção e dois coutos – Pedralva e Arentim – hoje fazendo parte do concelho bracarense. E assim vamos iniciar a transcrição da citada obra e que na página 162 e seguintes, do Tomo I : “ São João de Nogueira – Abadia da Mitra, que rende trezentos mil reis com a anexa seguinte (São Paio de Arcos) , tem cinquenta vizinhos. Ao pé da serra de Santa Marta está Santa Maria Madalena, em que a cidade tem grande fé : para a chuva, ou Sol, ou outras calamidades a vão buscar em procissão, e se acham socorridos, e no alto da serra há uma capela de Santa Marta, de que toma o nome, com vestígios de grande fortificação, que entendemos foi dos romanos, quando conquistaram Braga. (Nesta estação, há anos chegaram a iniciar-se escavações arqueológicas sob a orientação do Rev. Arlindo Ribeiro da Cunha, tendo-se posto a descoberto parte dos alicerces do que, possivelmente, seria uma Basílica. Por motivos que desconheço, estas ruínas tem estado ao abandono, e alguma parte do espólio foi recolhido no Museu) Santiago de Esporões, Vigairaria do Arcebispo, tem sessenta e cinco vizinhos. Aqui está uma capela de Nossa Senhora da Piedade, que fundou Martim Ribeiro, natural desta freguesia, com dinheiro que trouxe do Brasil : tem um celeiro, que reparte por empréstimo com os lavradores, ou semelhantes pobres, que depois restituem com o avanço, que cada um quer, sem que se lhe limite. São Pedro de Lomar : foi Mosteiro mui antigo da Ordem de São Bento e se acha notícia dele pelos anos de 667. Foi sua fundadora, ou o reedificou Ameana de Selheris, mulher de Dom Arias Carpinteiro, a qual era também Padroeira de Tavoza, e tinha Monges com Abade no ano de 1358. Depois passou a Comenda de Cristo, ficando com dois párocos, ambos da apresentação do Ordinário. Eram duas freguesias distintas, a do Abade que tinha a Igreja, aonde chamam a Capela, que ali está ; teve princípio o unirem-se em um Reitor da Comenda, que entrou na Inquisição, e o Abade por vizinho trouxe os fregueses ouvir missa a ela. O Reitor terá sessenta mil reis de renda com trinta vizinhos, e o Abade tem cento e dez mil reis com sessenta vizinhos, e o Comendador com a anexa de S. Miguel de Guizande terá trezentos mil reis de renda. São Jerónimo de Real, Vigairaria da Câmara Arcebispal, tem trinta e três vizinhos. Fundou-a o Arcebispo Dom Diogo de Sousa, quando deu o Convento de São Frutuoso aos Religiosos da Piedade, que ali era em Paróquia, e para maior quietação dos Frades deixou de o ser. São Martinho de Dume foi fundado à honra de S. Martinho, Bispo de Turon, por El-Rei Teodomiro, e pouco depois a deu a S. Martinho, que chamam de Dume, primeiro Bispo e Capelão Mor da sua casa, que aqui obrou para residência sua um Convento de Monges Bentos, e foi este o primeiro desta Ordem, que se fez Bispado, e ficou sendo assento e Capela dos Bispos Capelains mores, quando Braga era corte dos Reis Suevos. Aqui esteve sepultado muitos anos até que o mudaram para Braga; com a entrada dos mouros ficando esta igreja pouco menos que erma, se passaram os Monges a fazer outra, a que deram o mesmo nome no Bispado de Mondonhedo, levando uma relíquia do Santo, que conservam agora: é Priorado, que apresentam os Arcebispos, rende duzentos mil reis com Nossa Senhora de Parada sua anexa no Couto de Tibães, tem cinquenta vizinhos. Aqui já muita erva bicha, ou Aristoloquia. Santa Maria de Adaúfe, a quem o Livro da Ordem de Cristo chama Dadufe, foi Mosteiro de Frades Bentos, fundado e dotado amplamente pelos anos de 1070 e tantos por D. Nuno Odorise sua mulher Adozinda Viscoy, que se entende ser da família dos Sousas, pelo que se colhe das sepulturas antigas que ali estão. Sagrou a Igreja o Bispo Dom Pedro: nunca foi Mosteiro duples: nele permaneceram mais de 360 anos, até que o Arcebispo Dom Fernando da Guerra em 2 de Agosto de 1452, o reduziu a igreja secular de sua apresentação in solidum, e o primeiro que poz nela foi João de Barros, Clérigo de ordens menores: mas no tempo de E-Rei Dom Manuel se meteu no rol das Comendas, que pediu a Sua Santidade e ele a concedeu; é da Ordem de Cristo, Reitoria do Ordinário, que rende cento e vinte mil reis, e para o Comendador com a anexa do Paço em Regalados, e sabidos importam em três mil e quinhentos cruzados, anda nos Condes de Atouguia : tem esta freguesia cento e trinta vizinhos. Daqui era natural uma mulher chamada Inês, que sendo de noventa e nove anos, tinha vivos cento e nove filhos, netos e bisnetos e conheceu quase quatro centos no discurso de alguns tempos que viveu mais. Couto de Pedralva. Entre os termos de Braga. Guimarães e Lanhoso está este Couto, de que é senhor o Arcebispo : deu-o El-Rei Dom Sancho o Segundo ao Arcebispo Dom Silvestre Godinho, compondo-se com ele sobre os excessos cometidos contra as Igrejas; fez-se a escritura e contrato estando El-Rei em Guimarães no ano de 1238. Serve de coutada dos Primazes com guardas , que a vigiam. Tem Juiz ordinário do Civil e Crime com dois vereadores, e Procurador, eleição trienal do povo, a que preside o Ouvidor de Braga, um Escrivão dos Coutos, que serve em tudo, data do Arcebispo e Meirinho anual feito pela Câmara que serve de porteiro; recolhe pão e vinho, muita caça, gados e laticínios. Consta este Couto de Freguesia e meia e são as seguintes:. São Salvador de Pedralva. Vigairaria anexa a São Pedro Deste, tem oitenta vizinhos Santa Maria de Sobreposta, abadia da Mitra, que rende cento e cinquenta mil reis, tem cinquenta vizinhos, de que trinta são deste Couto e vinte do Julgado da Lagiosa (….). Couto de Arentim. No julgado de Vermuim, termo da vila de Barcelos, tem seu sítio o Couto de Arentim , que tem uma Paroquia da invocação do Salvador, Vigairaria do Arcediagado de Braga, que rende quarenta mil reis, e para o Arcediago cento e dez mil reis: tem sessenta vizinhos com um Capitão. É Couto do Cabido com Juiz ordinário, dois Vereadores e Procurador do Concelho em tudo como o de Cambezes; produz excelentes peras de pendura. Eis, portanto nesta pequena súmula, como Carvalho da Costa, deveria ter visto Portugal, no início do sec. XVIII, o século do ouro, pois relatou e analisou todas as freguesias, cidades, vilas e lugares, o numero de sua população, no seu trabalho de três Tomos, “Corografia Portuguesa”, trabalho insano e de muita valia. Braga, Julho de 2011 LUÍS COSTA
publicado por Varziano às 16:39
link do post | comentar | favorito

50 anos do paulo . a modos de prefácio

A modos de P R E F Á C I O Corria aquele distante de Agosto de há cinquenta anos, por entre a calma daqueles que, como nós tínhamos de aguentar a escaldante temperatura que nos primeiros dias do mês se estava a fazer sentir. Tínhamos uma desculpa para não se “ir para férias lá fora”, isto é em Aver-o-Mar, ou se quiserem como a apelida muita gente há aquela ridente, Abremar, agora vila, do concelho da Póvoa. Nos dias de hoje nem é preciso, dar qualquer desculpa, para aqueles que não querem dar a conhecer as dificuldades do “veraneio lá fora”. O Estado encarregou-se de a arranjar, depois de nos espremer. Noutros tempos também havia problemas mas os casacas bracarenses, resolviam a situação e toda a gente ficava confiante na afirmação de que as férias tinham sido boas. Fechavam as janelas e portas viradas para a rua e depois de se terem abastecido para um mês, fixavam-se nas traseiras e durante o calorento mês ali viviam sem sair à rua. Ora nós, sempre bem abastecidos mal de dinheiros, tínhamos uma razão mais plausível. Estava para chegar a cegonha com um ou uma pimpolha, encomendada em Paris meses antes. A questão de ser macho ou fêmea, já não nos interessava, já havia que chegasse de um ou de outro lado e mais um ou uma seria o que Deus quisesse. Chegou o dia 8 de Agosto, manhã cedinho a mãe Helena prepara-se para mais um dia de trabalho, mas nem chegou a sair de casa. Um correio com aviso de recepção anunciou que a encomenda estava a chegar. Bom, era necessário ir buscar a pessoa certa que receberia a cegonha com a coisa encomendada, já que os prazos fixados se iam cumprir – entrega a fazer-se no oitavo mês do ano e no oitavo dia desse mês. A jardineira Fiat, abastecida e, ala que se faz tarde, até ao Pico de Regalados buscar a tia Alcina, familiar devidamente habilitada para receber a cegonha e já costumeira da casa. A avó Cota, logo avisada, pressurosa, apareceu pois ela morando no Carvalhal era um pulo até Santo André. Com as suas recomendações a todos os anjos e arcanjos lá foi desfilando as suas preces e conselhos. A cegonha estava atrasada, talvez os ventos seriam contrários, e a tenham impedido de chegar com a pressa que todos desejávamos. Assim estava a decorrer o dia e já pelas sete da tarde a avô Cota, que se contorcia, como sentindo o transe porque naquele quarto se estava a passar, achou que a encomenda não veria para já e teria tempo de ir a casa jantar e logo viria. Ainda mal teria tempo de chegar ao Carvalhal e, já eu, a correr a interpolei anunciando que afinal a cegonha tinha chegado e a encomenda, era um encaracolado rapazinho. Assim veio o mundo o irrequieto rapaz, que logo se resolveu se chamasse Paulo, e sobrenome Jerónimo, em homenagem ao seu avô paterno, para o qual o dia 8 de Agosto, teve especial significado. Depois, a sua irrequietude deu-nos que fazer e até um dia resolveu fazer de pára-quedista e lançou-se varanda fora, indo cair nos braços de um magala. Já agora, vamos falar no problema que nos causou quando resolveu saltar ao quintal do vizinho e pegando numa melancia a atirou ao chão, esborrachando-a e dizendo, AI UMA BOLA. Braga, 8 de Agosto de 2011 LUÍS COSTA
publicado por Varziano às 12:04
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. ...

. Museu Imagem

. Palacete Arantes

. Inauguração em Braga da e...

. CHAVES -Cidade Hericoica

. fonte campo das hnortas

. Março

. Fevereiro

. Homenagem

. João Penha - definitivo

.arquivos

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds