Quinta-feira, 26 de Agosto de 2010

Sá de Miranda

SÁ DE MIRANDA O POETA DO NEIVA Sá de Miranda (Francisco), o poeta lavrador e patrono do Liceu de Braga, nasceu em 1481, em Coimbra onde cresceu em corpo e sabedoria. Percorreu o mundo culto do seu tempo; foi admirado e estimado pelo rei Dom João III, que constantemente lhe pedia opiniões e conselhos, e o queria sempre ao seu lado, oferecendo-lhe as melhores posições na corte mas ele recusou, preferindo retirar-se para o recanto do Minho e adoptar como suas as terras entre o Neiva, Homem e Cávado, cantando e sublimando as suas belezas e manifestando assim a repulsa de incompatibilidade e protesto, contra a marcha errada dos grandes do reino, exercendo uma acção relevante de vigilância activa contra a degeneração dos costumes, resultantes de uma época de transformação sócio--económica que estava a surgir, pois a isso se opunha a sua austera consciência cívica de “Homem de que antes quebrar que torcer”. Recolhendo-se ao seu recanto da Quinta da Tapada, em Amares, em Carrazedo, teve ocasião de manifestar o seu magistério moral, através das célebres cartas enviadas ao Rei e aos seus amigos a os chamar à razão e ao bom senso, numa época que, como disse o Dr. Rodrigues Barbosa, aquando da sugestão para a atribuição do nome de Sá de Miranda, a um arruamento desta cidade de Braga, “o predomínio da mentalidade mercantilista vinha envenenando as consciências dos maiores do reino” Sá de Miranda, foi o introdutor na poesia portuguesa do verso decassílabo, o soneto, os tercetos e a oitava rima. Escreveu elegias, cantigas, sátiras, éclogas e duas comédias em prosa – Estrangeiros e Vilhalpandos. Faleceu na sua quinta da Tapada em 1558, estando sepultado na Capela da Tapada da Igreja de Carrazedo, Amares, onde uma mão caridosa fez esculpir na pedra tumular o epitáfio cuja tradução se reproduz : A MUSA PASTORIL AINDA NOS MATOS MAL CONHECIDA TOMOU FRANCISCO SÁ DE MIRANDA MUI CORTEZÃO DIZENDO GRAÇAS MADURAS E GALANTERIAS SISUDAS AJUNTOU POESIA HUMANA COM SUAVIDADE DIVINA. PODENDO COM SUA ESPADA PASSAR A HONRA DE SEUS AVÓS QUIS SOMENTE PELEJAR COM A PENA DA POESIA. EM TUDO MIRANDA, E NA MORTE TAMBÉM FOI ADMIRÁVEL. EM SUAS COUSAS ESTÁ ESCRITA A GLÓRIA DA SUA PÁTRIA. No dia 8 de Junho de 1923, os estudantes do Liceu de Braga, em romagem ao túmulo do seu patrono, fizeram colocar exteriormente voltada para a estrada, na igreja de Carrazedo, uma lápide em mármore com a inscrição: FRANCISCUS DE SAA DE MIRANDA / HOC MONUMENTUM/ SIBI. SVISQ. ELEGIT. ----------- OPTIMO. PATRONO. SUO / INSIGNQ. VATI/ ALVMNI/ ALMI. LICAEI. BRACARENSIS. / CVI. NOMEM/ SAA. DE. MIRANDA. / EST. DECVS. ET PRAESIDIUM. / HVNC. POSVÊRE / ANNO S. – MCMXXIII 23 de Março de 2010
publicado por Varziano às 16:23
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. ...

. Museu Imagem

. Palacete Arantes

. Inauguração em Braga da e...

. CHAVES -Cidade Hericoica

. fonte campo das hnortas

. Março

. Fevereiro

. Homenagem

. João Penha - definitivo

.arquivos

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds